Endereço:

Rua General Eloy Alfaro, 24 sala 03 - Vila Mariana

Fone:

11-98852-5133

Os Neuroblocos Funcionais de Lúria

Para Alexander Lúria (neuropsicólogo soviético 1902-1977), as formas complexas de comportamento têm origem social, a partir da qual se desencadeiam processos que elaboram, armazenam e desenvolvem informações do mundo exterior e se programam e controlam ações que materializam intenções, obedecendo a uma organização estruturada, autorregulada e hierarquizada no cérebro. Assim cada processo de comportamento envolve um complexo sistema funcional baseado num plano ou programa de operações que conduz a um fim determinado. Desta forma, Lúria caracterizou o cérebro humano em três neuroblocos funcionais, dos quais dependem as funções que presidem ao trabalho do cérebro, implicando em todas as formas complexas de comportamento.

O primeiro deles relaciona-se ao tronco cerebral (mesencéfalo, ponte e bulbo) e particularmente à formação reticulada (que está dentro do bulbo), permite a manutenção da postura (tônus) necessária para o funcionamento das partes superiores do córtex cerebral, regula o nível de energia e o tônus do córtex garantindo-lhe uma base estável para a organização de seus vários processos, incluindo o da memória, funções de seleção e de vigília. Localiza-se no Bulbo o Centro Respiratório e Vasomotor (relacionado com ritmo biológico), fibras dos núcleos vestibulares (relacionadas com equilíbrio e a posição da cabeça). As áreas psicomotoras referentes são: tonicidade, equilibração, função de alerta. Estes dados permitem perceber a integração da postura e equilíbrio. O segundo está relacionado com as áreas posteriores dos hemisférios, córtex parietal, temporal e occipital. Encontra-se nas zonas posteriores do córtex (lóbulos occipital, temporal e parietal). Possui a funções específicas e hierarquizadas em zonas primárias e terciárias que compreendem a organização intraneurossensorial, interneurossensorial e é um complexo sistema de recepção, análise e planificação da informação que chega pelas vias táteis, auditivas e visuais.

As áreas psicomotoras referentes ao segundo neurobloco luriano são lateralização, noção do corpo, estruturação espaço-temporal.

Verificou-se que estas áreas psicomotoras encontravam-se também em déficit. Partindo do princípio de Lúria de que os neuroblocos seguem uma hierarquia, as intervenções englobaram também estas áreas psicomotoras para atingir o objetivo principal de equilíbrio postural e atenção. O terceiro neurobloco, relacionado com a parte anterior dos hemisférios principalmente o lobo frontal, proporciona planificação: programação dos movimentos e dos atos, a coordenação dos processos ativos (regulação) e a comparação dos efeitos das ações com as intenções iniciais (verificação). Possui funções de planificação, utilização e execução de praxias, intimamente relacionadas com as funções do tronco cerebral (atenção e concentração). As áreas psicomotoras referentes são praxia global e praxia fina. Todos os neuroblocos participam da atividade psíquica do indivíduo e na regulação de sua conduta; porém, a contribuição que cada um destes blocos realiza na conduta do indivíduo é muito distinta.

Referências: LÚRIA, Alexander Romanivich. Fundamentos de Neuropsicologia. Universidade de São Paulo. São Paulo, 1981. MACHADO, Angelo. Neuroanatomia Funcional. Rio de Janeiro – São Paulo: Livraria Atheneu, 1985.

Precisa de ajuda?